Comissão de Ética Médica do Hospital de Trauma de JP é empossada pelo CRM

Tomou posse nessa quarta-feira (23), a Comissão de Ética Médica do Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, para o mandato de até 30 meses. A solenidade ocorreu durante uma conferência virtual e contou com a presença da direção da unidade hospitalar, integrantes da comissão, além de presidente e conselheiros do Conselho Regional de Medicina – CRM.

A Comissão de Ética Médica foi eleita democrática pelo corpo clínico do hospital e foi formada pelos membros efetivos: Gustavo Cartaxo Patriota, Louise Nathalie Queiroga Fontes Marques e Gilson Rodrigues Fernandes. Já os membros suplentes foram: Uilanete Dantas de Carvalho, Luis Ferreira de Sousa Filho e Márcia Fernanda de Almeida Gadelha.

Para o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais, a comissão será o braço direito do Conselho. “Quero parabenizar a direção do Hospital de Trauma que tem feito um grande trabalho a frente da instituição, como também os integrantes da comissão, que eles consigam resolver os problemas na própria unidade de saúde e só encaminhem problemas, quando tiver indícios de infração. Que possamos trabalhar para uma saúde cada vez melhor para o Estado da Paraíba”, frisou.

Segundo o diretor geral do Hospital de Trauma, Laecio Bragante, a comissão terá total apoio da diretoria. “Nosso total apoio a essa comissão, tenho certeza que faremos um bom trabalho, procurando a melhor assistência aos pacientes do Trauma, ou seja, mais humanizada, qualificada e ágio”, ressaltou.

Durante a conferência virtual, o diretor técnico do Hospital de Trauma, Luiz Gustavo Barros, destacou que a comissão vai trazer mais confiabilidade ao CRM. “Todos os integrantes terão autonomia para atuar na unidade de saúde para avaliar de forma profilática os possíveis deslizes éticos”, completou.

As atribuições das comissões de ética médica, de acordo com o CRM são de educar, fiscalizar, prevenir, conciliar e abrir sindicâncias para posteriores julgamentos, se necessário, pelo CRM. A integrante efetiva da comissão, Louise Nathalie Queiroga, disse que a comissão atuará de forma ética. “Queremos atuar de forma coerente, simples, resolutiva e apaziguadora, para que os problemas se resolvam dentro da própria instituição”, salientou.

Comissão de Ética Médica – As instituições de saúde que possuírem mais de 15 médicos têm obrigatoriedade de constituir a Comissão de Ética. O número de membros efetivos e suplentes será diretamente proporcional à quantidade de médicos da instituição. Eles são eleitos pelos médicos do hospital e têm um mandato de 30 meses.

Categories : Notícias